5 Diferenças entre a Iluminação Interna e Iluminação Externa

Por gardenlight
Iluminação07

Para muitas coisas nós temos abordagens diferentes vertentes dentro de um mesmo assunto. Esse é o caso para a iluminação externa e iluminação interna que mesmo pertencentes ao tema iluminação residencial, possuem abordagens que são muito diferentes em alguns aspectos.

1. Cuidados com a instalação

Dois ambientes diferentes, dois cuidados diferentes.

Essa é a palavra de ordem quando falando em instalações elétricas para ambientes eternos em relação a ambientes internos.

Isso acontece porque dentro de casa não temos uma grande necessidade de nos atentarmos a detalhes na instalação e cuidados exagerados, pois, todos os eletrodutos, cabos e caixas de passagens vão ficar em ambientes controlados com pouca umidade e geralmente muito limpos, o que ajuda bastante a manter a instalação elétrica sem grandes problemas.

Quando falamos da instalação no jardim a realidade não é nem de longe a mesma, no jardim a iluminação enfrenta muitas adversidades uma vez que o ambiente não é nem seco nem limpo, sujeito a insetos, alagamentos e etc.

Por isso as instalações no jardim merecem no mínimo o dobro de atenção em relação a isolamento contra entrada de água e também contra entrada de insetos que podem danificar a estrutura da rede.

Além disso algumas luminárias devem obedecer um rigoroso processo de instalação com instalação de sistema de drenagem para que não as danifique durante uma eventual enchente no jardim.

2. Quantidade de lux

Outro ponto interessante é que dentro de casa nós precisamos sempre pensar em na quantidade de lux em cada um dos cômodos baseados em sua função, por exemplo, uma cozinha deve ter em média 300lux em cima da mesa e fogão.

Já em um jardim a realidade é um pouco diferente.

Lembrando que estamos aqui falando de um jardim residencial onde a iluminação será utilizada apenas como decoração. Para iluminação de comércio, condomínios e outros o ideal é seguir as normas de iluminação de seguranças previstas pelas NBR’s vigentes.

Então, voltando, no jardim nós podemos criar mais efeitos com a luzes sem ter a necessidade de nos atentarmos a quantidade de lux. Muitas vezes um ambiente que fica um pouco menos iluminado no jardim pode até mesmo virar um charme no contexto geral.

3. Resistência das peças

Outra grande diferença entre os dois tipos de iluminação, é a resistência das peças quando vamos escolher os produtos.

Isso porque os produtos de iluminação para dentro de casa são muito menos complexos do que os produtos para iluminação externa, uma vez que estes não necessitam de preparação para ficar em um ambiente que vai exigir ao máximo de suas características construtivas.

Já para iluminação externa, a realidade é outra, adquirir peças que não sejam muito bem preparadas para enfrentarem essas adversidades, vai ter uma durabilidade muito inferior ao esperado.

Por isso ao se adquirir peças para iluminação externa a atenção ao fabricante, detalhes construtivos e principalmente especificações são tão importantes.

4. Manutenção das peças

Quando falando em manutenção de peças de iluminação a grande maioria já pensa na troca das lâmpadas, mas e agora que não temos troca de lâmpada? Há necessidade de manutenção nas peças?

SIM! Essa é mais uma das grandes diferenças entre os dois tipos de iluminação entre interna e externa.

Na iluminação interna precisamos fazer apenas o básico que é trocar a lâmpada ou luminária no caso das luminárias de LED incorporado, quando queimam.

No jardim não basta fazer apenas isso, precisamos estar sempre atentos a matéria orgânica que se deposita em cima das luminárias, problemas nos sistemas de drenagem nas luminárias, obstrução do foco luminoso, para que a luminária funcione em planas condições de operação.

5. Vida útil das peças

Dito tudo isso, podemos ver, por diversos motivos, que a vida útil das peças não vai ser exatamente a mesma, mesmo que sejam do mesmo fabricante, possuam as mesmas especificações e sejam do mesmo lote.

Isso não tem a ver a penas com o tipo de Led que é utilizado ou a forma construtiva da luminária e sim pelo fato de que mesmo com todos os cuidados, eventualmente a luminária externa ela tende a ter uma vida útil menor do que a luminária interna.